SER INVEJADO – ISTO É BOM OU RUIM?

  invejaSER INVEJADO- ISTO É BOM OU RUIM?

A maior parte dos estudos sobre a inveja foca sua observação na pessoa que sente a inveja. Ser invejado ou  fazer-se invejar é pouco estudado.  Possuir atributos, facilidades na vida, estar em posição de destaque causa sensações variadas, desde a sensação de poder até culpa, desconforto e medo de que algo ruim esteja para acontecer.

 

Os gregos, segundo Helmut Shoeck (1987: p.141-152) mencionam em vários mitos a inveja dos Deuses. Tratam como se houvesse uma justiça divina na distribuição dos bens com garantida punição para quem ousar ultrapassar os limites. Nesta mesma linha de raciocínio, vemos a ideia de que o prazer é proibido em muitas religiões. Ou ao menos tachado com o dízimo que se encarrega da justiça redistributiva.

Nossa sociedade

Vivemos numa sociedade capitalista, onde o consumo é estimulado por um marketing agressivo que usa e abusa da comparação entre pessoas. por conta disso, estamos o tempo todo sendo instigados a invejar algo. Invejamos o carro, saborosamente oferecido na televisão por uma pessoa mais bonita ainda que o carro, que veste roupas e acessórios, mais bonitos do que ela e o carro. Além de tudo está sendo fotografada num lugar paradisíaco, muito melhor que o carro, o modelo, as roupas e os acessórios.

 

Ser alvo da inveja alheia confere um status de poder, e um reasseguramento do próprio valor. Predispõe também a receber atos agressivos, diretos ou indiretos, tipo desvalorização moral, fofocas, sabotagem, etc. e uma desconfortável sensação de culpa, por ser a causa involuntária do sofrimento alheio.

Propaganda

Assim como o consumidor, alvo da propaganda exemplificada acima, quando somos comparados com pessoas que tem atributos superiores aos nossos, sentimos uma agressão em nossa auto-estima, o que demanda uma ação de retaliação para recuperar nosso valor. Fazer-se invejar pode ser um ato agressivo, pois a inveja é uma emoção social, e afeta não apenas indivíduos isolados, mas grupos.

 

George Foster (1972) sugere que há dois parâmetros para analisar a inveja: do ponto de vista competitivo é útil ser invejado; já do ponto de vista do medo de ser retaliado, é mais seguro passar despercebido e esconder suas qualidades.

Estratégias de relacionamento

Ser invejado e lidar com a inveja dos outros é uma tarefa complexa. Os estudos em psicologia social e sociologia sugerem algumas estratégias comumente utilizadas para se relacionar com pessoas invejosas:

 

  1. Minimizar nossas próprias qualidades;
  2. Valorizar o esforço que tivemos que fazer para conseguir tais qualidades;
  3. Elogiar a pessoa que nos inveja tentando salientar qualidades nela;
  4. Ajudar quem nos inveja, tentando dar a ela algo de bom;
  5. Esconder nossas qualidades sob uma pretensa humildade, modéstia.
  6. Socializar nossos ganhos egóicos, mostrando como nossas qualidades ajudam outras pessoas, etc.

 

Ser invejado enfim, é uma posição existencial ambígua. Ao mesmo tempo em que representa uma forma solitária de reasseguramento, mais-valia, pode acabar gerando um isolamento relacional, uma carência de pares simétricos com quem compartilhar as alegrias.

Leia artigo completo : PSICOSOCIODRAMA DA INVEJA – Atire a primeira pedra se você puder!   http://www.rosacukier.com.br/artigos/