ABUSO SEXUAL INFANTIL-Fale com seu filho

ABUSO SEXUAL
ABUSO SEXUAL

ABUSO SEXUAL INFANTIL-fale com seu filho

  • O Abuso sexual infantil pode ser previnido.
  • 1 entre 4 meninas e 1 entre 6 meninos tem chance de ser molestado sexualmente antes dos 18 anos;
  • 37% das vezes o abusador é alguém da própria família;
  • A maior parte das crianças nunca denuncia o abuso com medo de ser desacreditada ou punida ;
  • A maioria das crianças não sabe que um adulto tocar em seus genitais é errado.
  • Tocar nos genitais é gostoso e dá prazer.
  • Conversar com seu filho reduz a chance dele ser molestado e aumenta a possibilidade dele te contar se acontecer.
  • A partir dos 2 anos, a criança já fica sozinha sem os pais na escola, e em casa de parentes e vizinhos ( 85 % dos abusadores são pessoas conhecidas das crianças). Portanto 2 anos é a idade para iniciar esta conversa.
  • Fale clara e diretamente , muitas vezes sem assustá-los, exatamente como você os ensina a atravessar a rua. Diga o que pode ou não pode nas partes privadas e mostre quais são.
  • A hora do banho é uma ótima oportunidade para ensinar que partes privadas são aquelas cobertas pela roupa de praia ou pelas roupas íntimas.
  • Vale dizer que estas partes são tão especiais que só o papai , a mamãe e quem cuida da criança podem tocar para limpar, mas que ninguém mais deve tocar nestes lugares. E mesmo assim não é para doer. E se doer ela deve falar para os pais imediatamente.
  • Ensine para a criança os nomes corretos destas partes , assim como você ensina o nome de olhos, ouvidos, etc. Não use apenas apelidos ou gírias: pênis, vagina, peito.
  • É importante ensinar também que tocar nas partes privadas do outro também é errado e ninguém deve pedir que a criança o faça.
  • O corpo é dela é ela que manda nele. Ninguém tem o direito de machucá-la. Até beijos e abraços ela pode recusar se não quiser.
  • Encoraje seus filhos a contar se desconfiarem de algo ou alguém.
  • Diga-lhes que você sempre acreditará nela, e sempre a defenderá.
  • Nada pode manter seu filho 100% seguro, mas se você puder manter um canal de diálogo seguro , ficar de olho na criança e prestar atenção na reação dela às pessoas , você reduzirá o risco dela ser abusada sexualmente.